Previdência – opinião copy/paste – e quando vier a deflação ???

Coitados dos futuros velhos… coitados dos futuros aposentados… Já reparou que todo sujeito que defende o ajuste na Previdência, é rico o suficiente ou é funcionário público ? Infelizmente a verdade dessa história, não se sabe se por alienação ou ignorância mesmo, é que não existe uma opinião inovadora a respeito desse embate. Sim, todo mundo com QI 80/100 já entendeu que o déficit público está imenso, os gastos previdenciários estão excessivos e a conta não fecha mesmo. Só que ninguém, nenhuma cabeça original, nem nos comentários de leitores da Folha, Estado, Globo, ousa pensar o problema sob outra ótica.

Afinal, conforme outro ponto de vista, a conta do déficit público nunca vai fechar por pelo menos 2 aspectos básicos: 1) altos salários dos funcionários públicos, e 2) anexos salariais de funcionários públicos como auxílio-moradia, auxílio-transporte/deslocamneto, etc. herdados do período hiperinflacionário das décadas de 70/80/90. Claro, é mais fácil atacar e cortar uma massa de idosos que ganha de 1 a 3 salários mínimos, do que enxergar que juízes, promotores, procuradores, delegados, funcionários públicos no geral, estão ganhando salários desproporcionais à realidade do país. Isso aqui não é Suécia, Dinamarca, óbvio, aqui é a terra das massas e disparates. Mas isso tem um preço. E algum “gado marcado povo feliz” já pensou o óbvio, que um juiz às vezes está ganhando o equivalente ao que ganham 10 velhinhos aposentados ?? No país do “direito em tese” todos têm direitos e uns mais direitos que outros. Isso sem comentar na questão da lógica das chamadas verbas acessórias, ou regalias. Tinha uma lógica, nas décadas de 70/80/90, era fazer offset de perdas salariais decorrentes da hiperinflação. Sim essa era a lógica do auxílio-moradia por exemplo. Só que a inflação está caindo cada vez mais, se naquela época era 30% ao mês, hoje é 4% a 5% ao ano ! Porém, como desmontar essas equações no pais dos orgulhosos “direitos adquiridos” ??

Nesse sentido, a culpa não é dos velhinhos que chegaram na aposentadoria. A culpa também não é de juízes, procuradores, delegados, promotores por seus salários. Pode parecer ridículo dizer, mas a culpa disso é o controle da inflação, o fato do país atingir já níveis de inflação de primeiro mundo. A inflação baixa, combinada com um caldeirão de leis jabuticabanas mal-feitas, que criou os tais indexadores inflacionários, correção monetária, ferramentas financeiras de uma outra Era. Quem tem coragem de levantar essa lebre ? É mais fácil jogar a culpa nos velhinhos, xingar políticos, do que parar pra pensar na lógica que levou a isso. Isso porque o mais crônico da história está por vir: a deflação de primeiro mundo vai ancorar aqui uma hora, é uma tendência já. Então como vão conciliar os mecanismos jurássicos de correção monetária, indexadores inflacionários, tabelas do Judiciário, com a futura deflação, direito adquirido e o orgulho de um povo do “direito em tese”, que sofre sempre potencial “armação” de terceiros, e é cheio de boas intenções. Pra ser mais claro, ao invés de falar da baixa inflação e seus efeitos, e até da futura deflação, é melhor sair cobrando tudo conforme tabelas de correção monetária e indexadores criados na década de 70/80/90… Numa nova modalidade discurso Gérson, de utilizar conceitos que já não fazem mais sentido com a baixa inflação, para se justificar.